Ponto de equilíbrio financeiro: entenda o que é!

Ponto de equilíbrio financeiro: entenda o que é!

Na maioria das vezes, manter o equilíbrio financeiro é o sonho de consumo de qualquer empreendedor, concorda? No entanto, cumprir esse objetivo não é sempre tarefa fácil, uma vez que exige paciência e entendimento assíduo sobre finanças.

Ao longo do tempo, foram criadas ferramentas, fórmulas financeiras e medidas para ajudar os empresários na difícil missão de montar o planejamento estratégico. Entre os indicadores existentes, o ponto de equilíbrio financeiro é um deles, por meio do qual é possível avaliar se, no futuro, haverá lucro ou prejuízo.

Ficou interessado no assunto? Quer saber mais a respeito do ponto de equilíbrio financeiro? Então, este artigo foi desenvolvido para você. Veja!

Afinal, o que é ponto de equilíbrio financeiro?

Considera-se ponto de equilíbrio financeiro a igualdade entre as receitas totais, despesas fixas e variáveis. Por meio dele, é possível conhecer o faturamento mínimo que deve ser alcançado para não haver prejuízo ou obter lucro.

Portanto, tenha em mente que ele é a mínima meta que o seu negócio precisa alcançar. Do contrário, inevitavelmente, você terá um resultado indesejado.

Qual a sua importância para as empresas?

A importância do ponto de equilíbrio financeiro, para alguns, pode ser até questionada. Entretanto, para os mais esclarecidos, não é bem assim.

O uso desse indicador financeiro e seu respectivo cálculo são fundamentais, uma vez que é possível identificar em qual momento um produto ou serviço começará a render lucro.

Além disso, o ponto de equilíbrio financeiro permite que o empresário conquiste diversos benefícios em nível de gestão contábil. Entre eles, os mais comuns são:

  • verificar a viabilidade do negócio;
  • ter a capacidade de reduzir custos;
  • estabelecer preços competitivos.

Atingir o break even point significa que os produtos ou serviços comercializados estão se tornando viáveis.

Como é possível calculá-lo?

Para realizar seu cálculo, em primeiro lugar, necessitamos identificar a margem de contribuição e as despesas fixas. Portanto, conheça mais sobre esses dois termos.

Despesas fixas

São desembolsos financeiros necessários para que a empresa continue funcionando. Contudo, nunca estarão associados à produção. Entre as despesas fixas, destacam-se: comissões de vendedores e salários administrativos.

Margem de contribuição

Refere-se ao ganho bruto sobre as vendas de produtos ou serviços comercializados. O seu cálculo é feito conforme esta fórmula: margem de contribuição = preço de venda – (custo variável + despesas variáveis).

Agora que conhecemos a margem de contribuição, podemos calcular o ponto de equilíbrio financeiro por meio desta fórmula: ponto de equilíbrio financeiro = Despesas Fixas ÷ Margem de Contribuição.

Para tornar a compreensão mais fácil, vejamos um exemplo prático. Imagine que a sua empresa gaste cerca de R$ 100.000,00 a cada ano, para se manter operando, e que a margem de contribuição do seu negócio seja de 20%. Então, o resultado seria o seguinte:

PEF= 100.000,00 ÷ 0,20 (MC) = R$ 500.000,00

Nesse exemplo, sua empresa precisaria obter um faturamento anual de, no mínimo, R$ 500.000,00 para não ter prejuízo financeiro. Acima desse valor, haveria lucro e, abaixo, prejuízo. Cálculo simples de ser feito, não é?

Por fim, afirmamos que esse indicador financeiro é fundamental para qualquer empresário que deseja manter o planejamento orçamentário em dia, uma vez que as informações financeiras estarão sempre atualizadas. Portanto, como gestor, não descarte o ponto de equilíbrio financeiro da sua vida.

Gostou do conteúdo? Ainda lhe resta dúvidas sobre o assunto? Então, deixe seus comentários no post. Lembre-se de que suas dúvidas são as nossas também!

AV. N. Srª dos Navegantes, 955 - Sl 720 - ED. Global Tower
Enseada do Suá - Vitória/ES  |  +55 27 3025-6006